Saúde e Bem-Estar

Pirâmide alimentar infantil: equilíbrio é o segredo

Pirâmide alimentar infantil
gabriel.carrasco@npbrasil.com'
Escrito por Gabriel Carrasco

Como manter o equilíbrio na alimentação do seu filho planejando cada prato de acordo com a pirâmide alimentar infantil?

Introdução

Conhecer a pirâmide alimentar infantil é um dos primeiros passos para planejar melhor a alimentação do seu filho, quando se trata da pirâmide alimentar infantil brasileira, podemos encontrar alimentos comuns nos pratos de todas as pessoas pelo Brasil.

A pirâmide alimentar infantil criada pelo Ministério da Saúde leva em conta não só o perfil nutricional dos alimentos, mas, sobretudo, aspectos culturais e tradicionais que envolvem a alimentação.

Dessa forma, se torna mais simples montar pratos saudáveis para o seu filho, desde a introdução alimentar até à adolescência!

O que é a pirâmide alimentar?

Como montar uma pirâmide alimentar

A pirâmide alimentar é um esquema nutricional que foi criado pelo Ministério da Saúde como uma forma de representar o equilíbrio que devemos buscar em nossa alimentação.

Sempre que tivermos dúvida em relação à criação de um prato e, sobretudo, em relação a quão equilibrado ele pode ser, podemos recorrer a esse esquema.

A pirâmide alimentar infantil obedece os mesmos critérios nutricionais da pirâmide alimentar adulta, por assim dizer.

No entanto, suas principais diferenças se relacionam às quantidades que uma criança deve consumir de cada um dos grupos alimentares para permanecer saudável.

Seguindo o esquema, podemos ter uma dieta balanceada e saudável, limitando o consumo de alimentos que estão no topo da pirâmide e priorizando o consumo dos alimentos integrais que estão na base da pirâmide.

Pirâmide alimentar infantil e adulta: qual a diferença?

Quando se trata da alimentação de uma criança e da alimentação de uma pessoa adulta é essencial notarmos que as diferenças biológicas são determinantes para que seja feito um bom planejamento alimentar.

As crianças devem ter acesso em quantidades mais moderadas dos mesmos alimentos ideais para a alimentação adulta, de acordo com a sua etapa de desenvolvimento.

Essa atitude é essencial para preservar não só a saúde infantil como para respeitar as tradições familiares que envolvem a alimentação.

Assim, qualquer planejamento alimentar ou pirâmide alimentar infantil deve respeitar as características ambientais e culturais familiares.

Dessa forma, é mais simples, mais fácil e muito mais gostoso manter uma boa dieta, seja para crianças, seja para adultos.

Como montar uma pirâmide alimentar?

Montar uma pirâmide alimentar, seja infantil, seja adulta, exige alguma reflexão a respeito dos nossos hábitos alimentares e algum conhecimento do que é uma alimentação saudável.

Na base da pirâmide estão os alimentos que mais consumimos em nosso dia, que estão presentes na maior parte do nosso prato.

Conforme a pirâmide avança em seus níveis em direção ao topo estão os alimentos que devem ser consumidos com maior atenção e, sobretudo, restrição.

Quando adotamos esse modelo de planejamento alimentar, temos, pelo próprio modelo, um guia para conseguirmos identificar quais são os alimentos que devem ser consumidos com cuidado.

Seguindo-a, podemos ter uma alimentação muito mais saudável, uma qualidade de vida maior e melhor e, sobretudo, temos acesso aos diversos grupos alimentares importantes para nosso bem estar.

Grupos alimentares da pirâmide

Pirâmide alimentar infantil grupos alimentares

A pirâmide alimentar infantil foi criada como uma forma prática de demonstrar o formato ideal do esquema de alimentação.

Por conta do aspecto piramidal, com base maior que o topo, é fácil também identificar quais são os alimentos que mais devemos consumir e aqueles que devem ser evitados, a partir dos seus grupos.

Conheça agora quais são os grupos da pirâmide alimentar infantil e planeje de forma ideal o prato do seu filho!

Nível 1 – Base da pirâmide alimentar infantil: pães, massas, cereais e grãos

Na base da pirâmide alimentar infantil brasileira temos aquilo que mais consumimos em nosso dia a dia: os carboidratos.

Esses alimentos fornecem energia para o nosso corpo, tornando-o saudável e capaz de encarar todas as tarefas do dia a dia com atenção e disposição.

No entanto, esses alimentos devem ser consumidos de forma rigorosa pelas crianças, sobretudo em suas versões integrais, que contém menor taxa de açúcar.

O ideal é que uma criança consuma não mais do que 10 porções desses alimentos ao longo de um dia.

Nível 2 – Verduras e frutas

Os alimentos do segundo nível são os chamados reguladores: as frutas e as hortaliças.

Eles são responsáveis por recarregar nosso organismo com vitaminas e diversos minerais que mantém nosso corpo saudável.

Como são ricos em fibras, também têm um importante papel para regular nossas funções intestinais.

O consumo desses alimentos deve ser de até 4 porções todos os dias, super variadas e coloridas.

Nível 3 – Laticínios, carnes, ovos, feijões, sementes

Pirâmide alimentar infantil na escola

Esse grupo, o das proteínas, é essencial para a nossa vida, mas devemos consumi-lo com cuidado, sobretudo na infância.

Em relação aos laticínios, que são uma importante fonte de cálcio, nosso consumo deve ser variado e de até duas porções por dia.

Os demais alimentos desse grupo têm nutrientes que formam todos os tecidos presentes em nosso corpo e, por isso, têm papel fundamental em nossa dieta.

Devemos consumir até três proteínas magras, cozidas, assadas ou grelhadas, evitando sempre que possível as frituras.

Nível 4 – Topo da pirâmide alimentar infantil: gorduras e açúcares

No quarto nível e mais estreito da pirâmide, temos os açúcares e as gorduras.

Embora não haja uma quantidade recomendada para o consumo deles durante um dia, é essencial que tenhamos muita atenção com esses alimentos.

O consumo desregulado de açúcares e gorduras está correlacionado a problemas de saúde sérios, como obesidade e diabetes infantil.

Hidratação infantil é primordial

Na base da pirâmide alimentar infantil temos, certamente, a hidratação como essencial.

O consumo de água durante a infância deve observar diversos tipos de líquido que estão presentes em vários tipos de alimentos.

  • De 0 a 6 meses as crianças devem consumir até 700 mL de líquidos, incluindo, também, o leite materno ou fórmulas infantis;
  • Já de 7 até o primeiro ano de vida, o consumo de líquidos, de diversas fontes, deve ser de até 800 mL;
  • Entre o primeiro e terceiro ano, o consumo aumenta para até 1,3 L de líquidos por dia;
  • Do quarto ao oitavo ano, 1,7 L, incluindo pelo menos 1,2 L de água e outras bebidas;
  • Já entre o nono e os 13 anos de vida, o consumo de líquidos deve ser de 2,4 L, sendo 1,6 L apenas de água e outras bebidas;
  • Por fim, dos 14 anos até o fim da vida, o consumo de líquidos deve ser o de 3,3 L ao dia, sendo 1,8 L exclusivamente de água e outras bebidas.

Quer saber como cuidar da hidratação da sua família? Conheça os purificadores da H2O!

Conclusão

Hidratação infantil

Alimentar de forma saudável uma criança é uma das formas mais interessantes de cuidar, também do futuro dela.

A alimentação infantil saudável cria hábitos que se estendem por toda uma vida e, sem dúvida, a família tem um papel muito importante em relação à criação desses hábitos.

A H2O leva purificadores para a sua casa, para que o preparo dos alimentos seja feito com água de qualidade, levando mais saúde e bem estar para toda a sua família.

Conheça agora os nossos purificadores e invista em uma alimentação mais saudável para as crianças da sua família!

👶🏽Como criar hábitos alimentares mais saudáveis para as crianças?

Podemos encontrar uma boa ideia do que é a alimentação saudável observando o esquema da pirâmide alimentar infantil:

Na base da pirâmide temos os carboidratos, os alimentos que são ricos em calorias e fornecem energia para o nosso corpo. As crianças devem consumir, no máximo, dez porções desses alimentos ao longo do dia, preferencialmente em suas versões integrais;

No segundo nível temos frutas e verduras, que são ricos em fibras alimentares, vitaminas e minerais. Devemos consumir até quatro porções variadas ao longo do dia;

No terceiro nível temos as proteínas, que devem ser consumidas moderadamente ao longo do dia, totalizando três porções. São as carnes - preferencialmente magras, cozidas, assadas ou grelhadas -, ovos, laticínios e sementes;

No quarto e último nível temos as gorduras e os açúcares, que devem ser evitados na alimentação de uma criança, sobretudo por conta do potencial que esses alimentos têm de criar doenças como obesidade e diabetes infantis.

🥛Como manter a criança bem hidratada?

Além dos alimentos, a água também é essencial e por toda a vida. Consuma-a preferencialmente purificada, inclusive para o preparo de alimentos!

Sobre o autor

gabriel.carrasco@npbrasil.com'

Gabriel Carrasco

Deixe um Comentário